Uma Serpente de Luzes na Planície

As novas aventuras do pequeno Tukie pelos campos do Alentejo, continuação das primeiras, reunidas em «O Sorriso Enigmático do Javali», primeiro volume da série. Adriana Freire Nogueira, professora da Universidade do Algarve, chegou a escrever a propósito desse primeiro livro o seguinte: «Por muito que insistam em chamar jovem escritor a António Manuel Venda, ele não o é. É apenas um escritor jovem. E a juventude não se percebe só na timidez do olhar ou na inquietude das mãos que se movem com as palavras, quando fala, construindo castelos, casinhas ou outras arquitecturas; percebe-se também na escrita – uma escrita antiga e por isso tão próxima da fantasia dos simples, que aceitam com naturalidade o que outros a civilização fez chamar diferente, estranho, estrangeiro./ Por isso, o mundo visto pelos olhos do pequeno Tukie, ou pelos do pai do pequeno Tukie, é um mundo em que o fantástico não existe como tal.» Em «Uma Serpente de Luzes na Planície», o pequeno Tukie está um bocadinho mais crescido, a sua irmã bebé é uma pequena rapariguinha e entretanto chegou uma nova bebé. As doze novas aventuras, talvez se possa arriscar, são ainda mais surpreendentes do que as doze primeiras.

 

Autor: António Manuel Venda

Páginas: 112

Colecção: «On y va, Conto» (série «Pequeno Tukie)

 

Excertos de opiniões sobre «O Sorriso Enigmático do Javali», primeiro volume da série «Pequeno Tukie», que vai na terceira edição

 

– «Um livro que nos recorda a frase de Sagan, ‘somos filhos das estrelas’, reconciliando-nos com uma natureza cada vez mais distante.» Ana Cristina Leonardo, Jornal «Expresso»

– «Um pequeno tesouro, este pequeno livro.» Blogue «Cartas a Si»

– «Quem será o pequeno Tukie, o filho mais velho do autor ou uma espécie de Tom Sawyer?» Francisca Cunha Rego, «Jornal de Letras, Artes e Ideias»

– «A sensibilidade do olhar do protagonista é também a da escrita do autor.» H. G. Cancela, Blogue «Contra Mundum»

– «Uma narrativa para partilhar e ler devagar. Doze capítulos e doze animais, em fábulas feitas de espanto.» Inês Fonseca Santos, RTP2

– «Um livro sobre a intimidade. Laços chegados à experiência que torna a vida numa escola de pequenos gestos.» Luís Carmelo, Escritor (na apresentação da primeira edição)