A Seiva dos Dias

Na sucessão dos dias, entre a vida que houve e a que há, folheiam-se memórias e aprisionam-se imagens. E é neste desfilar de quotidianos fugidios que encontra cada vez mais a poesia de António Souto…

Barcelona

Barcelona é o encontro do autor com a sua própria solidão, talvez a fórmula que o faz redescobrir tanto do seu passado. Escrito num período relativamente curto, a par do trabalho à distância nas suas…

O Milagre do Entardecer (nova edição)

Numa nota do autor, António Souto, pode ler-se a propósito desta nova edição de O Milagre do Entardecer, que surge com uma nova capa: «Começou cedo o encontro de com a poesia, antes mesmo de…

Cadernos do Verão

«Estes cadernos» – assinala o autor, Manuel Matos Nunes – «são um tributo à imoderada beleza do Verão». E continua: «Dias cintilantes de areia e maré lisa, segundo o verso de Sophia. Piqueniques de burguesas,…

Montanha Distante

Um passageiro reservado entra no táxi de um motorista curioso. As circunstâncias do passageiro intrigam o condutor mais do que seria profissionalmente aceitável. O que se segue é uma aventura automobilística num universo distópico; a…

Estação

Estação reúne o essencial dos poemas que José Carlos Barros publicou entre 1984 e 1989 no DN Jovem, suplemento do Diário de Notícias. O autor escreveu esses poemas entre os dezasseis e os vinte e…

Barlavento

A publicação viu a luz do dia em 1943 e apresenta-se em trajes modernistas, com uma escrita sintética incomum. Se encararmos a capa original, assinada por alguém denominado Otelo, como o cartaz consciente do produto…

O Cão Atravessa a Cidade

O Cão Atravessa a Cidade reúne vinte e cinco poemas que são, ao mesmo tempo, vinte e cinco histórias. Primeira incursão de António Manuel Venda na poesia, mostra-nos um universo muito próximo daquele que o…

O Diário de Antero Maleano

O amor, a solidão, os traumas, a esperança, o desejo, a amizade, a indiferença, tudo isto está neste diário criado por António Trabulo. Talvez o maior espanto, ao lê-lo, venha da forma seca como os…

O Intervalo entre o Raio e o Trovão

Foi Manuel António Pina, citando Ezra Pound, que disse numa entrevista que «a poesia está tanto mais próxima da sua essência quanto mais próxima estiver da música». Lendo estes poemas, não podemos deixar de recordar…